Consultoria em Inbound Marketing

Com a Consultoria em Inbound Marketing sua empresa tem mais possibilidade de ser encontrada, atraindo tráfego, gerando leads e convertendo mais clientes.

A Consultoria em Inbound Marketing é planejada para assegurar que sua empresa se torne eficiente ao usar o Inbound Marketing para atrair, converter e fidelizar clientes. Também auxilia com softwares de gestão e outros processos necessários, tornando pontuais a criação e a execução de suas próprias campanhas.

As sessões podem ser flexíveis e inerentes ao seu tipo de negócio e ao perfil de seu público-alvo. O tempo, dependendo do caso, também poderá ser maior ou menor. A verdade é que um trabalho desse tipo precisa ser personalizado ao máximo para gerar excelentes resultados para sua empresa.

Nossa meta é tornar a sua marca mais atrativa e preferida pelos usuários, para atraí-los e convertê-los em consumidores fiéis.

  • Geração de Tráfego
  • Geração de Leads
  • Conversão de Leads
  • Automação de Marketing
  • E-mail Marketing
  • Links Patrocinados (Adwords, Facebook, LinkedIn)
  • Análise e Mensuração

Preencha o Formulário para falar com nossa equipe









Por que uma Consultoria em Inbound Marketing?

Consultoria em Inbound Marketing Ajuda as empresas a serem encontradas, atraindo tráfego, gerando leads, e convertendo clientes.

Entendemos que existem empresas de todos os tipos e o que funciona para uma, pode não funcionar para outra. Por isso, com a consultoria da ASB – Inbound Marketing, você receberá uma estratégia de Inbound Marketing feita especificamente para a sua empresa e focada no que sua empresa precisa, seja o aumento do tráfego, a geração de leads qualificados, o  aumento no fechamento de clientes, ou todos esses fatores. Nossa equipe irá te ajudar, em todas as etapas, a desenvolver uma estratégia de marketing prática, eficiente e pronta para executar.

Principais benefícios de uma Consultoria em Inbound Marketing

A consultoria é planejada para assegurar que sua empresa se torne eficiente ao usar o Inbound Marketing para atrair, converter e fidelizar clientes. Também auxilia com softwares de gestão e outros processos necessários, tornando pontuais a criação e a execução de suas próprias campanhas.

As sessões podem ser flexíveis e inerentes ao seu tipo de negócio e ao perfil de seu público-alvo. O tempo, dependendo do caso, também poderá ser maior ou menor. A verdade é que um trabalho desse tipo precisa ser personalizado ao máximo para gerar excelentes resultados para sua empresa.

Nossa meta é tornar a sua marca mais atrativa e preferida pelos usuários, para atraí-los e convertê-los em consumidores fiéis.

  • Geração de Tráfego
  • Geração de Leads
  • Conversão de Leads
  • Automação de Marketing
  • E-mail Marketing
  • Links Patrocinados (Adwords, Facebook, LinkedIn)
  • Análise e Mensuração

O Inbound Marketing

Você com certeza já ouviu falar do Inbound Marketing. Mas você realmente sabe como ele funciona e quais resultados ele traz?

Marketing de conteúdo, SEO, funil de vendas, atração e conversão de leads, jornada de compras, automação, são muitos os termos relacionados ao Inbound Marketing, e são eles que fazem essa estratégia funcionar. Com um conjunto de trabalhos e esforços, o “marketing de entrada” tem a internet como a sua principal aliada para aproximar a empresa de seus clientes e consumidores.

Essa aproximação deverá ocorrer por atração e esse é o principal resultado que essa estratégia tem. O cliente é atraído, conquistado, fidelizado e, por vezes, se torna um advogado da marca. Sem ter que ficar invadindo o espaço do consumidor, o Inbound Marketing criar um espaço onde o cliente quer estar, relaciona-se com ele para, então, vender um produto um serviço.

Mas a melhor forma para começar a entender o que é o Inbound Marketing é entender o que ele não é. Estamos falando do Outbound Marketing, “marketing de saída”, por vezes também chamado de “velho marketing”, que trabalha com fórmulas já conhecidas no mundo da comunicação e baseia-se, principalmente, em compra de mídia.

Inbound Marketing X Outbound Marketing

A principal diferença entre os dois está, portanto, na maneira como eles se aproximam do cliente. O Inbound, também conhecido como Marketing de Atração, traz o cliente para perto, fazendo com que ele procure a marca em seu tempo livre ou em um momento de pesquisa. Já o Outbound é conhecido também como Marketing de Interrupção, porque prevê que é a marca que tem que chegar ao cliente, interrompendo algum outro conteúdo, como um programa de televisão, com a sua propaganda.

Porém, as divergências entre os dois métodos não acabam aí. Custos, ROI (retorno sobre investimento), como funciona a comunicação com o cliente e qualidade do conteúdo vão separar as duas estratégias.

Custos

Outbound: Os custos são mais altos principalmente pela compra de mídia. A compra de espaços publicitários costuma ser a parte mais cara de campanhas ATL tradicionais. Valores de milhares de reais são comuns em grandes veículos.

Inbound: Os custos resumem-se na criação do seu próprio espaço na internet (site, blog, perfis em redes sociais, ferramentas de e-mail marketing) e na produção do conteúdo. Portanto, não há previsão de compra de mídia externa, apesar de poder haver compra de palavras-chave, por exemplo. Mesmo assim, estima-se que o Inbound seja 62% menos custoso que o Outbound.

ROI

Outbound: Com consumidores cada vez mais relutantes com a publicidade tradicional, o retorno sobre investimento do Outbound está cada vez mais duvidoso e, de qualquer maneira, o retorno já deve ser altíssimo para compensar os altos custos envolvidos no processo.

Inbound: Estima-se que o ROI médio do Inbound bem feito seja de, em média, 275%, um número surpreendente. Mais do que isso, uma vez que os esforços são feitos em plataformas digitais, existem várias ferramentas que ajudam a medir a retorno, trazendo mais controle e segurança para a empresa.

Comunicação com o cliente

Outbound: É unilateral. A empresa entra em contato com o cliente, ou prospect, por um anúncio e a troca acaba por aí. Não existe um canal direto para a pessoa dar seu feedback, ou mesmo tirar dúvidas, rapidamente com a empresa.

Inbound: Plurilateral. Ao firmar-se na internet, sua empresa abre várias formas do seu cliente entrar em contato. O indivíduo pode, por exemplo, comentar em um blog, interagindo com o que foi publicado, assim como pode facilmente tirar dúvidas, dar sugestões ou fazer reclamações.

Qualidade do conteúdo

Outbound: Prevê peças quase sempre focadas em venda. Existe pouca preocupação de gerar conteúdo interessante para a audiência. Ao comprar o espaço publicitário, a marca tende a falar somente de si e de seus produtos.

Inbound: Preza-se pela criatividade e pela relevância. Precisa ser um conteúdo que faça com que a sua marca seja procurada e requisitada, uma vez que o objetivo é atração. Abre espaço não somente para promoção de produtos, como também para entreter, educar e informar.

O Lead

Começar a falar sobre Inbound Marketing é ouvir diversas vezes a palavra “lead”. O termo se destaca porque ele é a razão de se desenvolver toda a estratégia de atração.

O que significa lead? O que é um lead?

A palavra “lead” pode ter vários significados em inglês. Mas, nesse caso, a tradução mais “correta” seria conduzir/condutor. O lead é um contato de uma venda em potencial, é um conjunto de dados de contato de um prospect que já demonstrou algum interesse pela sua empresa. Ou seja, é o lead que vai te conduzir a um potencial consumidor e você o conduzirá até a vida.

Como obter um lead?

Essa é uma das principais premissas do Inbound Marketing. O começo de uma boa estratégia de atração é, exatamente, a conquista de leads, que podem vir, por exemplo, de uma Landing Page, ao deixarem seus nomes e informações de contato, como e-mail. Ou seja, resumidamente, a obtenção de um lead se dá ao oferecer algum tipo de conteúdo que estimule o potencial cliente a fornecer seus dados, permitindo que depois seja contatado para futuras ações.

O que é conversão de leads?

Converter um lead significa transformá-lo em um consumidor. Isso significa alimentar o lead com conteúdo até que ele decida comprar da empresa. Esse processo se dá dentro do funil de vendas, captando o lead em seu topo e guiando-o até o fundo.

A importância do funil de vendas

Para desenvolver uma estratégia efetiva de Inbound Marketing, é essencial que se compreenda bem o funil de vendas, porque ele será o norte para o trabalho com os leads. Durante a jornada de compra, o consumidor passa por diversas etapas, que irão compor o funil de vendas. Uma estratégia de marketing de conteúdo pode aproveitar essas diversas etapas para fornecer materiais diferenciados e condizentes com cada uma delas, facilitando o processo de captar e converter clientes.

O funil é divido em três momentos: o topo, o meio e o fundo. Mas o que caracteriza essas fases e quais conteúdos que devem ser usados em cada uma?

Topo do funil de vendas

Essa é a primeira etapa da jornada de compra. Os potenciais clientes presentes nela também são chamados de suspects e são aqueles que estão buscando mais informações sobre os produtos e serviços que pensam em adquirir. Estão pesquisando sobre um problema que têm, buscando entendê-lo melhor.

Os tipos de conteúdos ideais para essa etapa são aqueles que educam e ajudam seu potencial lead a identificar um problema relacionado à sua área de atuação. Se você oferece um sistema de gestão de tempo, por exemplo, um bom conteúdo de topo de funil poderia dar dicas de como fazer uma gestão de tempo eficiente.

Meio do funil de vendas

Nessa etapa se encontram os chamados prospects e leads. Esses clientes já perceberam seu problema na etapa anterior e agora procuram por possíveis soluções. Eles já foram identificados pela empresa por meio de técnicas de captação de leads e chegou a hora de despertar sua confiança e sua preferência.

Os materiais ideais para esses indivíduos são mais aprofundados, pois eles já têm um conhecimento básico sobre o que pretendem comprar. Conteúdos mais práticos, que mostrem como seus problemas serão solucionados por aqueles produtos ou serviços são bastante indicados. Eventos, tanto presenciais quanto online, newsletters e emails marketing contendo material educativo são algumas boas pedidas para essa fase. Aqui também são usadas as landing pages para que eles possam baixar ebooks, webinars e outros materiais.

Fundo do funil de vendas

Nessa etapa o cliente já identificou o que pretende adquirir e está em vias de concluir a ação de compra. Ele é uma oportunidade real e só falta fechar o negócio.

Para esse cliente, é interessante enviar informações mais diretas sobre os produtos e serviços em si. Preço, formas de pagamento, opções de parcelamento, material institucional contendo dados dos produtos, enfim, aqui serão passadas todas aquelas informações que podem de fato ajudar esse cliente a concretizar sua compra.

Ferramentas do Inbound Marketing

Como já está sendo possível perceber, Inbound Marketing é um conjunto de esforços, ferramentas e táticas que trabalham um com o outro para entregar valor ao cliente. Cada empresa, obviamente, terá um mix específico de esforços, de acordo com o seu perfil e com o perfil de seus clientes. Isto quer dizer que por mais que o Inbound Marketing traga conceitos precisos de como se destacar, a fórmula não é fechada e a estratégia é maleável para trazer melhores resultados.

Marketing de conteúdo

Como bem definido pela Rock Content, o “Marketing de Conteúdo” é uma maneira de engajar com seu público-alvo e crescer sua rede de clientes e potenciais clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e assim gerar mais negócios.” Blogs, e-books, newsletters, white papers e tantos outros formatos são usados pelo marketing de conteúdo para entregar valor.

Redes Sociais

O bom conteúdo pode ser trabalhado também nas redes sociais. Elas podem ser usada para propagar o que está sendo falando no blog ou para divulgar e-books, por exemplo. Seu grande trunfo está na sua habilidade de viralizar, fazendo com que a sua mensagem tenha a chance de chagar a mais pessoas.

Além disso, identificar onde seus leads estão ajuda a relacionar-se melhor com eles. Por exemplo, se seu público está no Twitter, é importante que você desenvolva uma estratégia de conteúdo para essa rede, alimentando seus leads e aproximando-os de você cada vez mais.

SEO

A internet é a principal fonte de informação para usuários sobre serviços e produtos disponíveis no mercado; por isso, qualquer empresa deve ter uma sólida presença on-line. A principal maneira de conseguir isso é utilizando um conjunto de práticas, conhecidas como Search Engine Optimization (SEO), para otimizar sites para melhor posicionamento em mecanismos de busca, como o Google.

O SEO consiste, basicamente, em entender o que é valorizado pelos robôs do Google e usar isso a seu favor. Por isso é importante conhecer as boas práticas de SEO, para que a sua página ganhe mais relevância nas buscas do site. É importante, também, fazer bom uso de palavras-chave e construir conteúdo de maneira planejada.

CRM

O Customer Relationship Management, Gerenciamento de Relação com o Cliente em português, é um método muito utilizado para transformar leads em vendas. Resumidamente, o CRM junta informações sobre seu lead (contato, demografia, fase no funil de vendas) e classifica seu valor para a empresa. Logo, o CRM informa em quem vale a pena investir dinheiro, que lead que deve receber esforço para gerar venda.

Quem possui uma grande de dados bem completa tem no CRM uma incrível oportunidade. Trabalhar bem essa base requer um bom investimento, em pessoas qualificadas e softwares de gestão. Porém, os custos para manter e fidelizar um cliente que te traz lucro é menor do que conquistar novos, e essa é a base de todo o pensamento do CRM.

E-mail

Uma vez que seu lead já forneceu seu contato de e-mail em uma landing page, por exemplo, você deve usar desse recurso para ativá-lo. Conteúdos relevantes enviados diretamente ao lead aumentam a autoridade da empresa frente ao prospect, além de prepará-lo para uma compra futura.

Os e-mails podem ser completamente voltados para venda, podem ser informativos ou podem, ainda, transferir o cliente para outra plataforma. O formato utilizado e o propósito do e-mail vão depender do objetivo a ser alcançado e o lead que vai ser contatado.

Automação de marketing

Para arrematar, este processo que é indispensável para estratégias complexas e bem executadas de Inbound Marketing. Captação inteligente de leads, mensuração constante e remarketing fazem parte do processo. Seu destaque é o uso da nutrição de leads, que dispara conteúdo programado por e-mail para lista específicas, conduzindo seu prospect ao longo do funil de vendas.

A automação se diferencia do e-mail marketing por definir um processo claro de e-mails, com o objetivo final de levar aquele lead que estava no topo do funil até o fundo, considerando fazer uma compra. O e-mail marketing traz soluções mais pontuais e costuma ter um viés mais comercial, não tanto de conteúdo relevante.

Buyer persona

Todo esse trabalho de Inbound Marketing só faz sentido e é realmente efetivo quando você compreende bem o público que você tem que atingir. E nesse momento, você deve ir além de definições demográficas e criar verdadeiras personas.

Além de saber quem é seu consumidor, é preciso descobrir quais são suas dúvidas e problemas e o que os leva a consumir. E é aí que surge a buyer persona que significa, mais ou menos, o cliente ideal. Ele expõe a lapidação do público-alvo de sua empresa. Com essa definição é possível saber onde focar seu tempo e trabalho.

Enquanto o seu público pode ser mulheres de 30 a 40 anos, sem filhos, da região sudeste, a buyer persona com quem você pode trabalhar seria a Luana, que mora em Belo Horizonte, tem 32 anos, é casada e não tem filhos, trabalha como arquiteta freelance e seu maior problema é conseguir organizar todos os seus projetos.

Os detalhes podem ser vários e mais específicos, o que lhe ajudará a ter uma noção muito precisa de como se comunicar com essa persona. Logo, é extremamente que o trabalho de definição de personas seja feita de maneira muito minuciosa.

Tenha certeza!

Nada de suposições. “Eu acho” não se encaixa no momento de definir a persona. Para chegar ao perfil do seu cliente ideal é preciso levantar as informações e basear-se em dados concretos. Portanto: pesquise, entreviste e colete dados. Deixe o “achismo” de lado. Criar e definir a sua buyer persona por meio de especulações é o meio mais fácil de errar, e o inbound marketing refere-se a acertos.

Faça perguntas

Fazer as perguntas certas é o melhor caminho para conseguir os dados necessários para criar a buyer persona de sua empresa. Reúna dados dos atuais clientes e de pessoas que ainda não são seus clientes, mas possuem o perfil que quer – que fazem parte de seu público-alvo.

Os dados devem fornecer informações para montar um perfil completo. Comece com questões relacionadas à idade, onde vivem, se são casados e tem filhos, em que trabalham e qual cargo ocupam. Mas é preciso ir mais longe. Entenda quais os objetivos do seu público alvo, o que buscam e valorizam. Isso ajudará a definir a buyer persona. A pesquisa pode ser realizada com quantas pessoas achar necessário.

Compare dados

Depois de reunir as informações coletadas com as perguntas, faça comparações entre seus clientes atuais e as pessoas que são potenciais clientes. Compare as respostas e comece a definir padrões de acordo com as semelhanças encontradas nas duas bases (clientes e público-alvo). Essa análise é muito importante para definir a persona de seu negócio.

Descreva o perfil

Por meio da coleta de dados e da comparação com seus clientes será possível ter os padrões necessários para criar a persona. Essas informações lhe dirão como é, onde vive, de que maneira de comporta e quais são as necessidades do seu cliente ideal. Pronto: aí está a buyer persona.

Dar um nome para a sua persona serve para torná-la mais real e é uma dica bem útil. Vale até criar uma história de vida para essa pessoa. Quem é e o que precisa que sua empresa pode oferecer.

Mais de um

Caso consiga perceber dois ou mais padrões, significa que sua empresa possuir mais de uma buyer persona. Crie quantos perfis achar necessário baseando-se em sua análise dos dados. Se definir mais de uma persona, o importante é definir em cada ação qual persona será o foco de cada ação.

Compartilhe

Compartilhar o resultado das análises com os funcionários da empresa que fazem parte da área de relacionamento com o cliente é essencial. Este é mais um passo apara aprimorar as técnicas de inbound marketing e atingir seu público-alvo. Com a participação de todos da equipe sua estratégia será muito mais assertiva.

Foco

Definir a persona é essencial para entender quem irá consumir seu produto ou serviço. Portanto, após essa definição é preciso direcionar a produção de conteúdo para essa parcela específica de seu público-alvo. E lembre-se: com conteúdo direcionado e de qualidade é muito mais fácil conquistar novos clientes e vender mais!

Mensuração

É extremamente imperativo que seja feito um trabalho de mensuração quando se faz Inbound Marketing. A internet permite que essa mensuração seja feita com facilidade e ela dirá se o que você está fazendo de fato traz resultados. Acompanhar de perto o desempenho das ações geradas é uma excelente maneira de avaliar se as campanhas desenvolvidas estão de acordo com o planejamento de marketing.

O acompanhamento das métricas contribui para o bom desempenho das campanhas. Hoje em dia, para obter um retorno positivo das campanhas, não basta focar apenas nos processos. É fundamental acompanhar com frequência os resultados por meio de algumas métricas. Elas servem como uma espécie de termômetro que indica se essas ações estão indo de acordo com o esperado ou se precisam ser aprimoradas.

Essa análise constante é essencial para o bom desenvolvimento dos processos de marketing digital e Inbound Marketing e ajuda a demonstrar se os investimentos estão gerando resultados.

Geração de tráfego

Entre as métricas essenciais para avaliar os resultados está a geração de tráfego. Isso porque ela indica como anda o volume de buscas e também o comportamento dos visitantes no site. Por meio dela, é possível fazer uma análise primária sobre o aumento no número de visualizações ou mesmo de visitantes, em um determinado período e, com base nesses números, ter uma visão geral do desempenho das campanhas.

Taxa de conversão

A taxa de conversão também é fundamental para avaliar diversas ações que tenham sido realizadas pelos usuários no site, como quantidade de cliques e assinatura de newsletters. Embora possa parecer bastante ampla, a taxa de conversão ajuda a indicar se as ações têm seguido o planejamento estipulado e estão gerando o engajamento desejado.

CAC

O Custo de Aquisição dos Clientes contribui para uma visão mais específica de quanto a empresa está investindo para atrair e poder conquistar clientes. É obtido a partir da soma de tudo aquilo que foi investido para trazer esses clientes, desde o gasto com equipes de marketing e de vendas, como o pagamento de salários e de horas extras, por exemplo, até os investimentos em campanhas publicitárias.

Com esses números em mãos, é feita a divisão pela quantidade de clientes obtidos em um período estipulado. E dessa maneira é possível compreender se os custos para atrair os clientes estão viáveis.

ROI

Já o Retorno sobre o Investimento aponta se as campanhas estão gerando o retorno esperado sobre os investimentos realizados. Essa métrica é um indicador relevante para os negócios e se baseia no ganho sobre o investimento menos o custo sobre o investimento.

Ou seja, se sua empresa ganhou R$50.000 e investiu R$10.000 seu ROI será de: R$50.000- R$10.000 = R$40.000

Terceirize seu Inbound

Preocupadas em manter controle total da operação, muitas empresas optam por montar equipes dentro do departamento de marketing para cuidar de produção de conteúdo e de estratégias de inbound. Essa decisão, porém, pode não ser a melhor escolha para o bom desempenho e rendimento da companhia.

Podemos ser suspeitos para dizer, mas nosso conselho é que procurem uma agência especializada para desenvolver esse trabalho. Os benefícios são muitos e com certeza os resultados serão melhores.

Custos

Ter sua própria equipe dedica ao marketing do conteúdo significa gastar com salários de profissionais especializados, encargos trabalhistas, benefícios, equipamentos, possíveis treinamentos e outros custos para manter a equipe. Claro que ao terceirizar essa repartição do marketing com uma boa agência de inbound marketing não sai completamente barato, mas com certeza haverá economia.

Foco e comprometimento

Por alto custo, fica praticamente impossível ter diferentes profissionais de marketing em sua equipe com especializações diversas. Isso faz com que seus funcionários não disponham de tempo o suficiente para focar em todas as suas tarefas e acabem deixando o inbound marketing, que pode parecer secundário, um pouco de lado. Uma agência, no entanto, terá essa única preocupação com você como cliente.

Experiência

Agências de inbound marketing já possuem funcionários, entre redatores publicitários e jornalistas, que trabalham diariamente com produção de conteúdo. São funcionários que garantem que os textos produzidos serão de conteúdo e condizentes com a estratégia. Estratégia essa que já foi montada internamente na agência por profissionais com experiência em planejamento para o âmbito digital.

Tecnologia

Completamente imerso no mundo da tecnologia, o inbound marketing requer não somente conhecimento absoluto de todas as novas tecnologias como precisa de acesso a elas. Ao contratar uma agência para fazer esse trabalho de parceira com a sua empresa, você poupa tempo e dinheiro para manter-se completamente atualizado, visto que a agência especializada garantirá o melhor uso das tecnologias com profissionais que entendem do assunto.

Mas afinal, por que fazer Inbound Marketing?

Se após ter nos acompanhado até aqui você ainda tenha dúvidas sobre fazer ou não Inbound Marketing, nós avisamos: fique bem atento ao mercado. Os consumidores já estão dando vários sinais de que o Outbound Marketing, o marketing de interrupção, não lhes é mais apelativo.

Um ótimo exemplo disso, é a popularização dos Ad Blockers. Em tempos de Netflix, ser interrompido por uma propaganda parece completamente inconcebível. O consumidor quer acesso rápido e fácil a conteúdo de qualidade e que o agrade. Entendendo essa necessidade do mercado, foram lançados os Ad Blockers, que, como o nome já bem indica, tem como objetivo bloquear os anúncios online.

Muito popular com quem assiste a muitos vídeos no Youtube, o bloqueio de propagandas retira comerciais, banners e similares da página na qual o usuário está navegando.

Alguns veículos já proíbem o uso de adblockers em suas páginas, ou pedem que seja feita uma assinatura para acessar o conteúdo sem propagandas. Mesmo assim, esse recurso tem se tornado uma ameaça para quem continua fazendo publicidade tradicional dentro do ambiente online.

E ainda há espaço para esses softwares crescerem. Pesquisas indicam que somente 1/3 dos navegadores em desktop e menos de 10% em mobile possuem um bloqueador de propagandas. Isso quer dizer que esse é um mercado que ainda está em expansão.

A melhor maneira de chegar a essa consumidor que já usa ou está considerando usar um Ad Blocker é, justamente, a partir do Inbound Marketing.

Gostou de nossos serviços?

Entre em contato com o nosso time de especialistas e saiba como o Inbound Marketing e sites focados em conversão podem melhorar as suas vendas, trazendo visitantes qualificados, mais leads e gerando mais conversões. Em breve nossa equipe entrará em contato sem compromisso ou custo algum e você mudará a sua visão do Marketing Digital.